quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

Feliz

Viver se podia chamar amar
O certo é ter certeza das incertezas
Corrente , fluxo , grandeza
Andar por aí
Voar nos sonhos
De que vez em quando
Voltamos à ser crianças
Cantar , chorar, rir e se encantar
Encontro de desencontros
Conto com meus contos
Canta quem quer
E assim se deseja algo
Como uma luz
Que segue na fervura da sua indecência
Vontade de acabar um poema
Que não consigo acabar
Simplesmente viver para poder amar.