sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Amar tudo

A folha amarela caiu
À beira da lagoa
O homem de azul sorriu quase simpaticamente
E o tempo voa

As pequenas gotas fazem cócegas
Tanto que espirro
O movimento de tudo é calmo
Pelo menos onde vivo

Raro momento
Onde minha alma pousa sobre mim
Estou sentado do lado da Igreja
Deixando que Deus me ensine a amar

Amar o que é belo
E o que também não é
Amar o desamor
Para retirar de todo ódio a dor

Amar tudo
A folha marela
E até o homem e seu sorriso
O porque disso todos sabem:
A vida é bela
E aqui é o paraíso.

2 comentários: