sexta-feira, 27 de abril de 2012


Espelhos quebrados trazem sorte ou azar
Trazem sorte porque mostra mil faces do único ser
E azar porque o ser se desconfigura
Eta vida dura
Será fácil juntar os cacos?
Que mais se parecem com o caos
Locais de divisão eterna
E maternal saudade repartida
Ao lado do chão junto tudo
Para minha voz falar
Emudecido dito os compassos
De traços surdos
Descalços pés imundos
Que se lavam
Na medida em que se cortam
Com cacos que em nosso suor
Se atiçam e sem explicação se matam
Choram e vivem ainda que haja vida
Vivida e boa para juntos de tudo
Ser assistida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário