quarta-feira, 29 de agosto de 2012

O livro
Bem lido
Fica escondido

O chão estrelado
Cai sobrenós
Chuva de concreto



Quem me conhece
Sabe e fala
Nunca padece


Jesus apaga a luz
Ela te conduz
Já é noite em Jerusalém


Ei de amarela
Azul é blue
Verde passarela

A população voa
O vento soa
No deserto tudo para.

Muita hora nessa calma
Minha alma repousa
E as horas se extinguem.




Dente de leite
Cai e cai
Aproveite.

A noite cai
Tudo se distrai
Chove chuva  sem parar
Sem bronca
O homem ronca
Faz sol ao meio dia

Baixou em mim um Bashô
Fiz um hai-kai
O sol se pôs.


Aquele telhado
Furado
Me acompanhe o luar

Olha o Sol
Se desdobrando
Para iluminar a todos
Quando não consegue
Pede auxílio a Lua e as Estrelas
Iluminando a noite
Para a noite ficar mais bela

Agosto de deus
Sinto o vento passar
Bate no meu peito
E me conforta
O sol é quente
A sombra é boa

No inverno de agosto
Tudo é bom
Ainda que o tempo voa

Quando os espíritos se encontrarem
Acontecerá uma química
De luz e brilho
Isso acontece
Quando olhamos no fundo dos olhos do outro
Nossa alma é aberta
E existe uma pequena  brecha
Para o amor entrar
Ir nos meus olhos
Passar pelo meu coração
Para sempre voltar.

Um pedaço do céu
Caiu no chão
Eis que estremeceu o meu coração
Explosões atômicas acontecem
Anjos se espalham pelo mundo
Em um segundo todos foram perdoados
Por não saber que erraram
E porque do céu todos viemos
Viemos e iremos.

A flor se abre
Meu coração se desmancha
Minha blusa é vermelha

Esconder o sangue
Ou o espinho que me machuca
Mas faz parte da flor
Machucar para alguém sofrer
As pétalas caem
Fico sem ação
O sol as queimam
E eu adoeço
É que a flor sou eu
E a ela eu mereço

A roda que gira
Nos piras
Transpira
Por violência de um tira
Que nos tira a nossa tira
Da turma da mônica
Que não adianta ficar nervosa
Pois sansão é forte
Mas um dia cairá
Terá que  ter muita sorte.

E vem  chegando o carnaval
Me da o seu aval para ser alegre
Pintar o 7
Ou oito ou zero
O importante deve ser que as cores
São novas e translúcidas
Nossas vidas em fevereiro
Se tornam uma festa
Que dura para sempre
Por  que todo dia é dia de comemorar
Arranjando amores
E maneiras de amar.

Meio sem direção
Quero voar por aí
Dormindo numa rede a balançar
Sem pestanejar
Sonho com carneiro na cerca
Sonho que sou você
Qualquer pessoa que não seja eu
Em endereços discretos do seu
Coração aberto para mim
Sem deixar de ouvir  a nossa voz
Alegre contente
Com sorriso nos dentes
Muito aparente
Que me faz cair da cama
E me tornar totalmente inconsequente.
As portas do meu coração estão abertas
Quem quiser pode entrar
Difícil é sair
Se distrair é um bom passo para tal façanha
Assim é facim
Sem dó de mim
Minha cabeça é viva
Se quiser ler meus pensamentos pode ler
Vai ser muito bom esquecer
Pois não são idéias comuns
São delírios e colírios
Com incoloridades  de vertentes
Verdadeiras sonoridades
Pois a vida é uma serpente
Que nos rodeia
E incendeia minhas emoções
Cegas e mudas
Se mudam para o sossego
Das duras vidas
Vividas e sem motivo para ter medo.

Pensamento positivo
Deixa a gente ativo
Nos faz ser quem somos
Pensamentos positivos
São bons
Nos dá os dons
De alegria e fortaleza
Pra vencer
Qualquer tropeço
Pensamento positivo
Só isso que peço.

As poeiras que encobrem a gente
São parte do solo
Solamente só
Em caminhos divergentes
E alegres
Passar por uma nuvem
Não nos faz ficar no cèu
Faz ficar em terra firme
Como algo que endurece
O pó se desfaz
Tudo fica para traz.

O calor me derrete
Me diverte
Me enaltece
Quero agua para banhar
No rio ou beira mar
O resto
Só basta sonhar.


Somente sei
Que posso ser quem sou
Por meio da felicidade
De 22 anos de idade
E já sofri o tanto que
Se sofre aos 80
Tento e consigo as vezes
Ser feliz
Desenho algo
Com giz
Eis o que o próximo verso diz
A natureza da vida nos contradiz.

Sensação sem noção
Com tração
Discordantes acordadas
Computadorizadas
Com puta dor rizadas
Engraçadas atiçadas
Assadas e suadas
Sua e minha
Sozinha com uma boa companhia
Boa energia
Enésima e próxima
Pró ativa
Alusiva
Alô elo
Elo paralelo
Amarelo
Azul , verde , vermelho
Pelo meio
Sem direção
Cai por fim
Sem solidão
No meu coração

Flores florescem
Vivem adoecem e morrem
É o ciclo original
Serpentes semeiam
São ceias coloridas
Divertidas e memoráveis
Tudo se parece desigual
Igual ao canal
Lindo e bem vindo
Tudo é auto astral.

Torrente torrencial
Tudo é tão desigual
Chama em cadeiras choram
Imploram
Não reclamam
Não sabem onde moram.


O livro
Bem lido
Fica escondido

Amizade é ótima
Tudo de passa de ótica
Enxergar a todos
Sem medo de bolo.


A cabana cabe tudo
Cabe o coração que reclama
Cabe o garoto mudo
Translucidez em emoção maior
Quero fugir dos meus medos
Ter uma vida melhor.

Eis que um dia fui feliz
Assim  devo ser
Amar o amor
Sem medo nem pudor
Um dia serei mais feliz
Amei as virtudes
As conexões
Do coração com a alma
E a mente
Que nunca desmente
Somente me acalma.


O mosquito passa e faz
Zum zum zum
O macaco grita
O mundo se agita
Os pássaros cantam
Cachorros latem
Flores abrem
E a natureza agradece
Tudo quanto é alma boa
Parece que Deus padece.

Tudo que entra sai
Tudo que teve mãe
Todo mineiro e todo inglês fala uai
Só basta saber se o que sobe cai.

A luta me parece ser perversa
Uma coisa adversa
Com vontade de vencer
As vontades são essenciais
Com golpes paranormais
Temos que de tudo esquecer

Da prova do vento frio
Me torno um pouco arredio
Sem  consciência nem defesa
Entregando-se ao onde o vento levar
Para a rua ou para meu lar
Sou uma fácil presa

Tento enfim escapar
Pronto para amar
Não sofro muito
Nem tenho vergonha de cair
Uma fácil atitude é pedir
O braço do cidadão gratuito

A luta enfim acaba
Sobrou-me a jabuticaba
De capa dura e preta
Me bate na cabeça
Uma coisa que cresça
O poder da marreta.

As portas do meu coração estão abertas
Quem quiser pode entrar
Difícil é sair
Se distrair é um passo para tal façanha
Assim é facim
Sem dó de mim
Minha cabeça é viva
Se quiser ler meus pensamentos pode ler
Vai ser muito bom esquecer
Pois não são idéias comuns
São delírios e colírios
Com incoloridades de vertentes
Verdadeiras sonoridades
Pois a vida é uma serpente
Que nos rodeia
E incendeia minhas emoções
Cegas e mudas
Se mudam para o sossego
Das duras vidas
Vividas e sem motivos para ter medo.


O som nos traz sossego
Sombra dos nossos ouvidos
Notas notáveis
Graves ou agudas
Miúda musica
Encantam musas
Que tiram suas blusas
A vergonha aparece
Tanto que fica-se surdo
E falo a voz do mudo mundo.


O mato mata
Sempre ataca
Grande ou pequeno
O sucesso é terreno
Da terra que sustenta
Alimenta os seres
E os seus deveres
Suas obrigações
Com direções discretas
Crescem na medida do possível
Essa é sua sina
Se tornar um ser evoluível.

O mato mata
Sempre ataca
Grande ou pequeno
O sucesso é terreno
Da terra que sustenta
Alimenta os seres
E os seus deveres
Suas obrigações
Com direções discretas
Crescem na medida do possível
Essa é sua sina
Se tornar um ser evoluível.

Um dia estive o céu
Não fui eu que fui até ele
Mas ele que veio até mim
Me mostrou seu espaço sem fim
De cores primárias  não descobertas
Me faz descobrir que a realidade
É mais irreal do que qualquer outra coisa
De musicas angelicais
Que mais se assemelham
Com tons discretos
Com dó sem dor
E fazer sem mim
Descobri enfim
Que o paraíso é para todos
Mas quando se toma conta isso
Já se sabe
A vida já passou
Antes de virar o rodado disco

O ing completa o yang
A noite completa o dia
Farofa completa a melancia
Toda hora ,  todo dia
Dias claro
E noites escura
Enquanto tudo dura
As sombras nos assustam
Mas nos fazem perceber
Que a solidão nem sempre é ruim
Porque a noite
É açoitada
E o dia inigualável
A tarde já passou
E o segredo foi aberto
Enfado num cofre
Nos tira da má idéia
Do que o homem é triste
Quando é pobre.

domingo, 26 de agosto de 2012

Deus é seu
É meu
É dele
É delicioso
Faz tudo ficar mais gostoso
Com Deus na mente e no coração
A vida na Terra se encerra
E no paraíso é um eterno gozo.
A vida se passa e  nem percebemos o quanto ela é efêmera, um dia se passa em um segundo, e os segundos
são assassinados, o tempo então não existe para muitos .O que existe é um  sopro de Deus , a espera da entrada no paraíso,esse  sopro pode ser o perceber de uma borboleta azul, voando  no seu relativo tempo  de vida, aprendemos assim a dar mais valor as coisas que surgem  de repente, por  isso, uma poesia , ou um texto bobo como esse me fazem transportar para uma dimensão de alegria transcendental, coisas assim me fazem viver para viver e não apenas sobreviver. Gente !!! A vida é curta, curta ela ,antes que ela te encurte.
Cacos do espelho estão no chão
Fico dividido
Assim como meu coração
Parte dele me diz que a realidade é propícia
Para a estação do amor
Outra diz para odiar e amar ao mesmo tempo
Sem se cortar
Esses  cacos não me dão anos de azar
Nem de sorte
São simplesmente cacos quebrados
Juntinhos também para se amarem.
Dê o seu suor
Para não sentir dor
Trabalha e trabalha
Sem parar
Até o dia em que tem que continuar
Continuar até a última gota
Me beije na boca
E todo trabalho será recompensado
Pois sou um homem e sou mulher
Ambos seremos abençoados.
Meu coração explodiu
No mês de agosto
E de acordo com Deus
É uma explosão digna
Do coração do deuses
Balançou outros coração
Com um terremoto
Como um acidente de moto
A colisão foi fatal
Você me matou de amor
Agora sou imortal
Pensar no pensado
É fatigante
É pesado
Descanso só depois  do almoço
Sem carne por favor
Mas com todo o sabor da carne molhada
Me faça um favor:
Entregue a  mim
Para devorá-la
Carne branca , vermelha , e azul
E preta também
Me faz sentir bem
Porque carnes tem diversos gostos
Mas a carne dos desencarnados
Não tem muito sal
Tem gosto amargo
Pois se passa de uma  mera imortal
Gosto de tudo
Da alegria do Sol
Nos ilumina
À todas as moléculas
Alto astral faz chegar
Tudo se multiplica
Arte do dançar com os raios
E eles nos tratam
Com efêmeros desmaios
Tudo volta de novo
O que era antes agora é hoje
O amanhã é fácil decorar
Só basta sentir o vento
E saber aonde ele iré me levar
Você vai ver
Vai se emocionar
Com o canto do sabiá
Canta daqui , dança de lá
Faz graça
Como se fosse uma garça
Impressionante é o Sabiá
Com seu canto mágico
Me faz chorar
Tanto quanto se faz frio
No polar Ártico

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Saúde é ter saudade
Um mecanismo de  amor
Em que a mente e o peito
Acharam um método
Para legalizarem este sentimento
Saudade
É a soma de duas verdades
Ama com vontade de vaidade
Estou apaixonado
Pelas bombas do meu coração
Explodem
E jorram larvas
Pelos canais arteriais
Meu sangue é bom
E traz a paz
Para todo corpo
Uma hora  meu coração
Deve parar de funcionar
Por um simples motivo
Todos querem que o coração
Ache as almas gêmeas
E o coração que é feito para amar
Não encontrou seu amor.
Eis a luz la do alto
Algo de bom surgiria
Grandiosa verdade
Se implantam na terra
Era Jesus
Morreu por todos nós
E espalhou seu sangue por todos
Sangue poderoso
Sangue da poesia
De todos o mais maravilhoso
As estrelas os chamavam
Eles as escolhiam
Cada um com sua estrela
Eu fiquei com o Sol
Ele nem é tão grande assim
Mas é o que me ilumina
Com seus raios penetrantes
Gostosos e desconcertantes
As outras estrelas não sei o que fazem
Só sei que a minha iluminou o maior de todos os seres:
Jesus
Não pecou mas perdoa  setenta vezes setenta vezes

terça-feira, 21 de agosto de 2012

Sonhei com o sonhar
Me imaginei no paraíso
Acordei no alto de uma montanha
Era outro sonho
Finalmente fui parar no sofá
Vi que tudo era igual
E que tudo é para normais
Tomei a decisão de dormir de novo
Até que acordei no céu
Foi ai que eu percebi
Que em cada acordar
Entrava numa nova vida
Desta forma
Minha vida era
Vivida e curtida para sempre.

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Tem gordo que namora com magro
Tem alto que namora com baixo
Tem rico que namora com pobre
Tem novo que namora velho
E tem cravo que namora com rosa
Esses casais sim
Se apaixonam de uma forma poderosa.

sábado, 4 de agosto de 2012

Meu retrato não precisa ser descoberto
Se alguém fizer isso
Roubará minha alma
Me deixaria triste
Porque seria um cidadão sem espírito
Andaria por aí buscando que me empreste sua alma
Não posso viver sem a minha
Quando eu morrer sim
Ela pode ser de domínio público
Por que a essa hora
Já estarei comendo o néctar dos deuses
E deitando na grama macia do paraíso
É porque aqui não precisa de alma
E sim de muito amor pra dar
E disso eu tenho muio.