domingo, 25 de maio de 2014

Sonhos com pelos brancos

A plumagem minha é uma nuvem branquinha
Plácida e as vezes gosta de chorar
Ou de se exclamar
Nunca peço para parar
Onde ando me desfaço
E com dois ou três traços
Me faço um jacaré, um jabuti , uma lava-pé
Porque aqui onde vivo
Consigo acreditar
Que não possuo inimigo
Estou no céu mas não sou anjo nem Deus
Sou a nimbus
Que busca na sua essência
A mais linda luz.